A pacificação é o objetivo da subversão

Primeiro eles usam a subversão para provocar uma guerra. Depois mandam os tanques para promoiver a "pacificação".

Primeiro eles usam a subversão para provocar uma guerra. Depois mandam os tanques para promoiver a “pacificação”.

A subversão, segundo Yuri Bezmenov, ex-agente da KGB, é um processo em 4 etapas: (1) desmoralização, (2) desestabilização, (3) crise e (4) normalização. “Normalização” é o que você vê na foto, aquilo que os socialistas cariocas convencionaram chamar de “pacificação”.

Para saber mais sobre as etapas do processo de subversão, assista ao vídeo a seguir, legendado em português.

Criatividade não é isso não

Criatividade, então, é um perigo!

Criatividade, então, é um perigo!

Se criatividade é o que diz a imagem acima, cuidado! Jamais contrate um cirurgião criativo! Advogados, dentistas e gerentes de banco, digam não à criatividade! E, acima de tudo, jamais entre em um avião sem exigir um atestado de falta de criatividade do piloto!

Duas coisas iguais não são a mesma coisa

Igual, mas não o mesmo.

Igual, mas não o mesmo.

Estou examinando livros didáticos para meu filho e vejo que o problema começa no analfabetismo dos escritores de livros didáticos. Já na página 13, o autor lasca o seguinte enunciado em um exercício:

“Pinte com a mesma cor as figuras que têm a mesma forma”.

Ora, raios, como um sujeito pode escrever um livro didático e não saber a diferença entre “mesmo” e “idêntico”? “Pinte com cor idêntica as figuras que têm forma igual” ou “Pinte com o mesmo lápis de cor (não o troque por outro!) as figuras que têm forma idêntica”.

Se é para pintar as figuras que têm “a mesma forma”, a resposta correta é não pintar figura alguma!

Mas como explicar para essa anta que não existem “gêmeos mesmos” mas “gêmeos idênticos”? Que um gêmeo é uma pessoa “idêntica” a seu irmão mas não é “a mesma pessoa”?

Ah, vai! Não custa nada!

O preço de tudo o que é grátis é sempre alto demais.

O preço de tudo o que é grátis é sempre alto demais.

É sempre bom lembrar que a indignação é má conselheira. Exatamente por isso tanta gente se dedica 24 horas por dia a alimentar nossa indignação.

Trazendo o racional para a discussão, o FATO é que cada DIREITO representa um CUSTO que alguém tem que PAGAR. Não existe direito grátis.

Criar direitos é fácil. Difícil é criar riqueza para pagar por eles.

Deste modo, cada sociedade precisa decidir por que direitos está disposta a pagar. Eu não estou tão disposto assim a pagar direitos de ministros, parlamentares e juízes, e eles têm um montão.

Você também precisa encarar o fato de que cada direito trabalhista que o pessoal inventa é um emprego a menos. O trabalhador brasileiro tem tanto direito que cada trabalhador custa dois ou mais, faça sua pesquisa se duvida.

Depois de onde você acha que sai o dinheiro das empresas? Ao contrário do governo, elas não têm Casa da Moeda. O dinheiro das empresas sai da venda de produtos. Quanto mais criarmos pressão sobre os custos das empresas, mais elas precisarão de dinheiro para cobri-los. Portanto, maiores serão os preços que elas precisarão cobrar pelos seus produtos.

Portanto, a cada direito trabalhistas que incluímos no rol, é menos dinheiro para pagar salários e uma redução no poder de compra dos salários.

Com isso, os produtos brasileiros perdem competitividade para a China, onde tudo funciona à base de trabalho escravo. Ou seja, o Brasil exporta menos, cria menos empregos aqui dentro, cria mais empregos na China.

Como disse, essa é uma decisão que cada país tem que tomar. De preferência, sem indignação, mas com a cabeça, fazendo as contas na ponta do lápis.

Eu tenho direito e você não tem nada a ver com isso

Não existe direito grátis!

Não existe direito grátis!

Não existe direito grátis.

Criar direitos é fácil. Difícil é criar riqueza para pagar por eles.

Toda vez que o seu direito criar uma despesa para mim, ainda que sob a forma de impostos, eu terei direito de dar palpite e decidir se quero ou não bancar o seu direito.

Quer que eu pague pelo seu direito? Convença-me!

Exploração do homem pelo homem pela Exploração

Quanto mais, melhor!

Quanto mais, melhor!

“No capitalismo, o homem explora o homem. Já no socialismo, é o contrário” – Ditado polonês

“Under capitalism man exploits man. Under socialism it’s just the opposite” – Polish wisdom